Pular para o conteúdo

Itamar e Bolsonaro

No final de semana, estive em evento social onde e       quando as mais variáveis correntes de opinião se faz presente e cada qual com uma verdade  maior que as dos outros.

Os bolsonaristas mais eloquentes e de certa forma mais empoderados, cada um se  julgando,  pela fala, o próprio porta-voz do Presidente nas contraditas que apresenta a algum comentário feito por alguém, principalmente se for petista ou aliado da esquerda.

Esses, por sua vez embora um pouco amuados pela posição subalterna de terem sido apeados do poder, ficam mais na defensiva diante da constante acusação da desordem financeira do país, mas não perdem a oportunidade de partir para a ofensiva aproveitando das deixas do Presidente em suas manifestações públicas.

Já calejado pela vivencia mantenho-me na retaguarda analisando até mesmo com certo humor as disputas oratórias e pronto para intervir se algo mais grave possa acontecer.

O que é mais interessante na contenda é que os grupos se dividem em sub grupos e dentre os petistas há o sub grupo lulista e o subgrupo que entende que  passou a hora do ex-presidente se recolher e  também os esquerdistas que não são petistas. Já os bolsonaristas são todos de centro ou direita mas se dividem por questões partidárias, mas não por razões ideológicas,  focalizados apenas nos interesses de hegemonia politica.

Vendo tudo isso, fico passando o filme do meu tempo em companhia de Itamar Franco que tem muito a ver com a personalidade de Bolsonaro seja nas manifestações, nas ações ou nas teimosias.

Itamar era impulsivo, franco, educado, beligerante, nacionalista, inteligente, muito competente em matéria de gestão e ainda que não pareça,  por seu temperamento, era ponderado, metódico e racional nos momentos de tomar decisão. Mas, quando se tratava de questões pessoais era, na maioria das   vezes,  também , incontrolável.  Possuidor de um timing politico invejável e todos os seus passos em articulação e decisão politica eram devidamente cronometrados, o que deixava os seus circunstantes mais afoitos em estado de perplexidade e ansiedade por imaginar o que poderia vir. Muitas das vezes antes da decisão reunia com os mais próximos e colocava em discussão o fato que merecia ser decidido mas de certa forma que todos tomassem uma posição e nem sempre unanimes mas focalizados na direção do seu pensamento permitindo que ao final embora fosse resolver da forma   que previamente já havia decidido fazer, declarava que se submetia porque fora vencido.

O Presidente Bolsonaro tem muito a ver com o Presidente Itamar. Principalmente nas exteriorizações, razão porque eu entendo e absorvo bem os seus impulsos e ninguém me convence que toda essa gama de atitudes seja nas  entrevistas no Alvorada como em suas lives ou em aparecimentos públicos, não são planejados e com endereço e tempo certo porque, queiram ou não, ele é muito mais inteligente do que muita gente pensa.

Como fui e sempre serei, apesar de sua ausência física, um companheiro inseparável de Itamar, estou consciente de estar no caminho certo na confiança que tenho no atual Presidente que também entrará para a história do Brasil, como o que chegou na hora certa e no momento em que mais precisávamos.

Entendo que devemos, todos, dar uma trégua na importância que tem sido dispensada aos fake News, às falácias, ao chamado disse me disse e às intrigas e focalizar nossa atenção às  realizações do governo que não são poucas, nas áreas da Infraestrutura, do Ministerio da Saúde, da Ciencia e Tecnologia, da Agricultura, da Segurança Publica, Minas e Energias, e  da Economia que estão garantindo o equilíbrio na retomada do nosso desenvolvimento econômico e de nossa estabilidade social.

Vale lembrar que Presidente Itamar Franco encontrou o país em  situação muito semelhante à que enfrenta o Presidente Bolsonaro e sem muito alarde e sem se preocupar com os derrotistas e mesmo sem contar  com  o apoio dos grandes partidos o que exigiu um esforço dobrado nas articulações com o Congresso conseguiu  as condições necessárias para a implantação do Plano Real, redentor de nossa economia e que até hoje serve de base para nossa saúde financeira. Por isso teve sua paternidade invocada até mesmo pelos que a ele se opuseram na época, o que lhe causou uma profunda mágoa que o acompanhou no leito de sua morte.

Que isto nos sirva de lição para nos unirmos em torno do esforço que ainda será exigido dos governantes nos próximos anos mas sem permitir que os mal intencionados desviem a nau do Estado de sua rota.

Lembro-me de uma frase dita por um deputado gaúcho, competente economista, Cesar Prieto : “ O problema não está nos oposicionistas, mas principalmente naqueles que sempre participaram de todos os governos e não honraram a nenhum.”

6 respostas »

  1. Eterno Ministro ,parabéns por esse post magistral ! Que mostra com uma análise inteligente a situação atual da política , inclusive com a atuação franca , competente , honrada e dedicada do Presidente Bolsonaro e à semelhança com o nosso saudoso Presidente Itamar, que ,como tive o privilégio de conviver e aprender com ele e com você , concordo inteiramente . Mas não poderia deixar de registrar minha admiração pela sua lealdade e defesa de um dos melhores e mais injustiçados Presidentes que o Brasil já teve , inclusive com alguns se apoderando de seus feitos

    • Obrigado pela sua constante atenção e demonstração da nossa eterna amizade. Nunca vou me esquecer da competente e leal amiga e do seu trabalho no Governo Itamar Franco que reconhecidamente foi a melhor Secretária de Justiça do nosso Estado.

Excelentes as matérias postadas

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: