Pular para o conteúdo

FELIZ ANO NOVO

Estamos nos aproximando de mais uma passagem de ano, quando sempre desejamos que o próximo seja melhor que o que esteja terminando e pior do que lhe venha suceder.

Neste ano temos tudo para desejar ardentemente que ele, 2016, supere esse 2015 sofrido que dá os seus últimos suspiros carregado de pontos negativos, mas que, por isso mesmo permite que o próximo nos seja mais favorável, pois pior do que esse não é possível que venha.

Um ano que devia ter iniciado positivamente, com a renovação de mais um mandato presidencial, ícone da democracia republicana, ao contrário, cinco minutos após a posse da Presidente para um novo mandato, assistíamos o início de uma guerra de poder ao invés de uma ação em prol da governabilidade.

Em todos os países democraticamente civilizados há uma nítida diferença entre o interesse nacional e a luta do Poder pelo Poder. O símbolo nesse ultimo exemplo não é a bandeira, é o próprio umbigo. Não há um mínimo de importância com os destinos do país, só importa a conquista custe o que custar.

Com isso, entramos na era da intolerância, da deslealdade, da barganha politica, do desrespeito à dignidade humana, da corrupção, da falta de ética e tudo mais que não nos convém.

Passamos um ano com o mercado financeiro em turbulência, os investidores assustados, a credibilidade do país junto aos seus pares em decadência, a inflação aumentando de forma progressiva e em contra partida o Congresso Nacional, ao invés de dar instrumentos para a recuperação, chantageou e tumultuou o ambiente sócio-político-econômico fazendo com que tivéssemos todo o período voltado para um único foco: as briguinhas do Presidente da Câmara dos Deputados com a Presidente da República, a oposição tentando forçar o impeachment unicamente pensando em tomar o Poder e o país paralisado.

Agora, chega a hora de refletir. É hora do povo que é provocado e convocado irresponsavelmente a ir às ruas para se manifestar pró e contra a Presidente da Republica, se unir e exigir dessa classe política mais respeito e responsabilidade no exercício de suas competências. Que a oposição faça o seu papel contra o governo, mas não contra o país. Que os aliados defendam os interesses do povo e não apenas dos governantes, para que possamos realmente ter paz e tranquilidade e não nos tornemos uma republiqueta incompatível com os destinos que se deslumbrava para o Brasil.

Vamos nos desejar um Feliz Ano Novo na mais pura expressão de verdade, sem hipocrisia e sem desesperança, apesar da falta de alternativa política. Vamos torcer para que novas lideranças surjam para novos tempos em substituição a esse elenco já consumido pelo vicio e pelos maus costumes.

Hoje, nem podemos lutar pelas mudanças pela falta de alternativas. Não há melhor nem pior. São todos iguais. A falácia da oposição taxando o partido do governo como único representante da classe corrompida é facilmente desmentida pelos fatos que demonstram que em seus quadros estão também os artífices da corrupção.

Mais uma vez vamos sobrecarregar o nosso Deus apelando para o seu socorro.

Ao terminar lembro-me de um samba de Almir Guineto, sobre esse costume que temos de clamar quando estamos em perigo:

“ Os habitantes da Terra estão abusando
Ao nosso supremo divino sobrecarregando
Fazendo mil besteiras e o mal sem ter motivo
E só se lembram de Deus quando estão em perigo

Deus lhe pague, Deus lhe crie, Deus lhe abençoe
Deus, é vosso pai é vosso guia
Tudo que se faz na Terra, se coloca
Deus no meio
Deus já deve estar de saco cheio”

1 resposta »

Excelentes as matérias postadas

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: